23.9.16

Minha primavera favorita

             Hoje encerra-se o inverno. O inverno que veio para acabar com as cores, os sabores, os cheiros. Hoje encerra-se o inverno. O inverno que deixava tudo cinzento, frio, deserto. Hoje encerra-se o inverno. O inverno que entristece. O inverno que chega sem aviso, e deixa mãos e corações gelados. Hoje encerra-se o inverno. E volta a primavera. A primavera que floresce, encanta, renasce. A primavera que aquece. A primavera que dá vida, no que já não tinha mais cor. A primavera dos sorrisos, das novas energias.
             E depois da primavera, chega o verão. Depois da calmaria, o fervor. O verão de calor intenso. O verão com chuvas, fracas, apenas para refrescar o abafado dia. O verão com dias mais longos, e felizes.
              E logo mais vem o outono, quando começa-se esfriar. Quando as folhas vão perdendo a vida. Quando as flores murcham. Quando o outono chega, temos certeza que não demorará muito até o inverno chegar novamente. E nós passamos por todas as fases, em um círculo sem fim.
             Eu e você somos a primavera, mas isso não significa que nunca fomos verão, outono, e muito menos o inverno. Passamos por dias de calmaria, por dias de paixão ardente, mas os dias sem graça e frios também chegaram. Os dias que o nosso calor parecia não ser suficiente. Passamos por dias em que parecia que o sol nunca mais chegaria, ou quando chegava, não nos aquecia. Passamos por dias gelados, e sem vida. Passamos por dias em que achávamos que morreríamos. Não morremos.
         Estamos aqui, seguindo em mais uma primavera. Onde não sei dizer se prefiro o cheiro das flores, ou o seu. Onde tudo está florescendo de novo. Onde o amor está renascendo mais uma vez.


              Você sempre será a minha primavera favorita, mesmo nos dias de inverno!!!!


Texto de: Daiane Cristina

Um pouco sobre séries do verão norte-americano 2016




Terminou o inverno no Brasil e o verão nos Estados Unidos. Com o frio que fez por aqui eu aproveitei para acompanhar algumas das novas séries e novas temporadas quentinhas que lançaram lá, as season e summer premiere do verão norte-americano 2016.
Dentre as séries que começaram eu assisti Dead of Summer (DOS), Guilt e Wrecked e das que voltaram com novas temporadas eu vi a sétima de Pretty Little Liars (PLL), a segunda de Scream e a quarta de Young & Hungry (Y&H).

Primeiramente, assista Guilt! A série é da Freeform, mesma emissora que transmite PLL e tem uma história de suspense com investigação criminal que te prende do começo ao fim da temporada. Ela tem mesmo um quê de PLL com suas personagens adolescentes que estão envolvidas com um assassinato, mas a semelhança para por aí, Guilt traz um universo muito mais real do que o das meninas de Rosewood em PLL, mas digamos que Grace, a protagonista de Guilt, seria uma excelente Liar também. A série traz personagens curiosíssimos envolvendo diferentes classes sociais de uma Londres moderna com policiais e detetives em busca de pistas do assassinato de Molly, a melhor amiga de Grace. As revelações não deixam o ritmo da narrativa cair até a última cena do último episódio. Em meio as investigações do assassinato, ainda tem um caso de prostituição que envolve o príncipe da Inglaterra, meio Christian Grey de Cinquenta Tons de Cinza.

Guilt encerrou a primeira temporada com dez episódios no dia 22/08/16 e ainda não há informações sobre um possível retorno.

Já que citei PLL diversas vezes, precisamos falar da sétima temporada que será também a última! Amém? Eu sei que vou chorar quando acabar, mas penso que é hora de dar tchau. Aria, Hanna, Emily, Spencer e Alison continuam sendo perseguidas por mensagens de texto e mentiras, mas agora a série cresceu, as personagens cresceram e tudo está cinco anos mais velho do que quando terminou a sexta temporada. Não vou mentir não, gostei. As Liars não estão mais no colégio e suas vidas tomaram diferentes rumos antes de retornarem para Rosewood. Enquanto em Guilt o mistério é “Who killed Molly?” em PLL a sétima temporada trouxe o “Who killed Charlotte?”. Um ponto positivo para a narrativa foi trocar os casais e ir revelando aos poucos o que aconteceu que motivou essas mudanças durante os cinco anos que a série saltou. Se o objetivo da roteirista Marlene King era amadurecer a série, o objetivo foi atingido e deixo aqui minha observação sobre a personagem Spencer, que parece ter se enquadrado muito bem nessa nova fase. As cenas dela foram as que mais me surpreenderam, parabéns para a atriz Troian Bellisario. E não desista de PLL!
Pretty Little Liars encerrou a primeira parte da sétima temporada com dez episódios no dia 30/08/16 e tem previsão para retornar com a segunda parte em abril de 2017.

Mudando de gênero, você assistiu DOS? O terror que se passa no acampamento de Stillwater também é da Freeform e surtiu para mim como uma tentativa de concorrência da série Scream, já que chegaram inclusive a terem exibições nos mesmos dias. Eu vi porque um acampamento de verão amaldiçoado me pareceu um bom tema de seriado. Entretanto, o negócio só melhora lá pelos três últimos episódios e a narrativa se mostrou fraca até mesmo para apenas uma temporada. A trama é interessante por revelar o passado dos monitores de Stillwater com flashbacks que mostram mais sobre suas personalidades e motivações para procurarem o acampamento. A escolha dos atores para interpretar esses monitores é que me incomodou, não me apeguei a nenhum deles, os papeis não são marcantes e distintos como os de Audrey, Brooke e Noah de Scream, por exemplo, mas o casal Blair e Drew merecem destaque, com uma questão de opção e orientação sexual. A reta final de DOS fica boa com a reviravolta da protagonista Amy que muda da água para o vinho.

Dead of Summer encerrou a primeira temporada com dez episódios no dia 30/08/16 e ainda não há informações sobre um possível retorno.

O terror continua também na cidade de Lakewood com a série Scream. A segunda temporada não perde em nada para primeira, até melhora no meu ponto de vista. O cúmplice de Piper, a assassina da primeira temporada, é quem está atormentando a vida de Emma, Audrey e seus amigos com mais assassinatos e perseguições. Novos personagens são inseridos de uma maneira objetiva para termos novos suspeitos e novas relações para ir contra ou a favor. Com base nos assuntos do momento no Twitter, o sucesso da série é notável pelas aparições quase diárias nessa lista com o número de tweets dos fãs e parece que muitos estão aguardando os episódios especiais de Halloween que foram anunciados pela MTV, pois é fácil encontrar contagens regressivas na rede social. FALTAM 26 DIAS!

Scream encerrou a segunda temporada com doze episódios no dia 16/08/16 e retornará com dois episódios de Halloween no dia 19/10/16.

A Freeform não me pagou para escrever isso, eles nem sabem que eu existo, mas vou falar de mais um seriado deles. Y&H é uma comédia muito saborosa, fazendo aqui um trocadilho com o tema de culinária dessa série que é estrelada por Emily Osment no papel de Gabi. Eu não conheço ninguém que assiste Y&H, mas existe um público regular que ajudou a chegar na sua quarta temporada e ainda ganhar um spin-off! O 4x08 de Y&H é também o primeiro episódio da nova série Young & Sofia. Nesta quarta temporada Gabi e Josh continuam sua história de amor complicada com muita loucura e diversão. O ritmo da narrativa de Y&H é bem leve e descontraído, não deixando sobrar tempo para o telespectador pensar em enjoar da série.

Yong & Hungry encerrou a quarta temporada com dez episódios no dia 03/08/16 e ainda não há informações sobre um possível retorno.

O que eu não gosto de séries de comédia é que elas são muita curtas, com episódios de vinte minutos geralmente. Queria que cada episódio tivesse quarenta minutos e por isso fui procurar outra comédia para acompanhar. Foi assim que eu descobri a estreia de Wrecked. Procurei o trailer e já fiquei animado com mais vinte minutos de humor que viriam. A história me parece uma sátira da aclamada Lost, mostrando sobreviventes de uma queda de avião em uma ilha deserta. Owen trabalhava como atendente de voo no momento do acidente e na ilha ele acaba virando amigo de Danny, um passageiro que finge ser policial. Os dois personagens convivem com várias personalidades bizarras dessa série que coloca algumas críticas da nossa sociedade moderna, como dependência de eletrônicos e memória cada vez mais guardada na internet.

Wrecked encerrou a primeira temporada com dez episódios no dia 02/08/16 e foi renovada para segunda temporada com mais dez episódios em 2017.

Texto por Marcelo Junior.

Copo de leite



Quando pequena, Mariazinha gostava mesmo era de brincar na rua com os vizinhos. Eles brincavam de estátua, pega-pega e esconde-esconde, mas por ser menina e a mais nova de todos, ela era o copo de leite do clubinho.
- Mariazinha pega atrás do carro.
- Salvem o mundo!
- Ela não conta, é copo de leite, não sabe brincar.
- Então me ajudem, eu não quero ser copo de leite.
Os amigos foram envelhecendo e Mariazinha também, logo passaram a aceitar ela em todas as brincadeiras. A menina corria e se escondia muito rápido, melhor do que vários garotos da vizinhança.
A fase infantil restou por último com ela. Os amigos cresceram e se mudaram, foram estudar em escolas mais distantes, começaram a namorar e pensar em vestibular.
Maria amadureceu depressa sozinha. No ensino médio começou a fazer cursinho também e se dedicava aos estudos para ingressar em uma Universidade igual seus amigos conseguiram. Não todos, infelizmente.
Maria conseguiu. A cota por sempre ter estudado em instituição pública ajudou e dentro da universidade ela descobriu que esse sistema beneficiário não agrada a todos, ela já foi olhada de lado por ser cotista. Pior ainda para sua nova amiga Júlia, uma linda morena que entrou com cota racial.
O mais importante para Maria na área acadêmica é o debate. Nas aulas ela e Júlia prestam atenção nos discursos dos professores e aproveitam para discorrer sobre o assunto das cotas, o racismo que a amiga sofre, o movimento feminista e as diversas bandeiras que são erguidas por diferentes grupos.
Maria acredita que é essencial a troca de informações sobre as minorias, sobre política e assuntos polêmicos, para conhecer e respeitar diferentes visões e o nosso pluralismo. No entanto, a universitária começou a ver na mídia algumas notícias sobre a proposta da lei Escola Sem Partido, um projeto que estipula como dever do professor não debater em sala de aula opiniões religiosas, morais e políticas, no ensino fundamental e médio.
Uma das professoras foi indagada sobre o assunto durante uma aula da manhã e além de Maria, eram poucos os que tinham visto algo sobre o projeto.
- Eu não sei como vai ser a educação se essa lei por aprovada, mas penso em vocês, os estudantes que vão estar na sociedade sem senso crítico, sem argumento...
- Nos Estados Unidos não tem uma lei assim?
- Lá tem o que eles chamam de “espaço seguro” dentro das universidades. São locais sem trânsito de ideias e debates. Aqui vai funcionar assim, o que vai acontecer é que os alunos vão ficar de fora.
“Eu não quero ser copo de leite”.

Texto por Marcelo Junior.

 
| Design by Free WordPress Themes and Kurpias| Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes and Kurpias |