28.12.11

Feliz dias novos!!



Nincia Cecilia Ribas Borges Teixeira

É triste a gente ouvir
Que as coisas por aqui
Não tem mais salvação
É fácil desistir
Mais vale resistir
Buscar a solução (Tunai)

Com tanta gente desejando um Feliz 2012, penso que deveríamos desejar logo um excelente 2013, porque se o ano que nasce for de sucesso, alegria, harmonia , saúde, teremos certeza de  que chegaremos a um 2013 feliz..
Como conquistar tudo que projetamos para o ano que se aproxima? Muito trabalho, dedicação e, principalmente, coragem para exterminarmos o desânimo e perseverança para atingirmos nossas metas.
Importante termos fé, que nos impulsiona a acreditar sempre no melhor, fé em um ser superior, na família, nos amigos, e em nós mesmos. Caso contrário, faremos parte do time dos derrotistas, dos que não levam fé na vida...
Como vida não é novela, sabemos que adversidades nos cercarão, então devemos pedir força para transpor os obstáculos e fazer de todos os dias do ano novo mola propulsora para a construção de 2013, 2014, 2015...
Feliz dias novos!!

23.12.11

Então... É Natal?

Nincia Cecilia Ribas Borges Teixeira
Natal, nascimento, renascimento... O espírito da partilha deveria fazer parte de nosso cotidiano, não apenas em datas marcadas. Solidariedade não tem dia em calendário, deve ser praticada todos os dias. Querer bem, conviver com a família, perdoar, não guardar rancor deveria ser prática constante em nossa existência. Aumentar as vendas do comércio parece a tônica natalina, diante de tanto capitalismo, ressurge também a prática do “ano que vem vai ser diferente”. Diferente como? Se não se faz quase nada para a promoção da mudança? Vou ser melhor filho, melhor marido, melhor esposa, melhor chefe..... mas  o que se entende por ser melhor? Melhor para quem? Nem sempre o que é o melhor para nós é também para o outro.  No Natal, devíamos parar para pensar que somos felizes porque pensamos, movimentamo-nos, temos acesso às necessidades básicas e que, acima de tudo, acreditamos quem existe algo superior que nos impulsiona a querer continuar vivendo, porque atualmente diante de tanta coisa ruim, é surpreendente como ainda continuamos a ter esperança em dias melhores... Se isso não é Cristo renascendo em nossos corações, então Papai Noel existe mesmo... Bom Natal todos os dias !!!!

20.12.11

Gente de Nossa Terra: Alegria, alegria...Goiabada chegou!!

Nincia Cecilia Ribas Borges Teixeira

José Tomaz Szymczak você conhece? E o palhaço Goiabada/ Formigão? Goiabada há quase duas décadas faz de seu ofício a alegria de muitos. Ser Palhaço, não é para qualquer um, é necessário ser alegre mesmo quando se está triste, requer profissionalismo, dedicação, sacrifício. É dar-se aos outros, por vezes, em condições muito adversas.  Sua ingênua gargalhada ajuda muitos a esquecerem a dor, as dificuldades. Com simplicidade, dialoga com todas as gerações e classes sociais. Goiabada tornou-se sinônimo de comemoração, conhecedor de muitos guarapuavanos reconhece a maioria pelos nomes. A diversão da criançada é sempre garantida, além disso o bom palhaço ajuda  a preservar a literatura e nossas tradições, Humilde, trabalhador e com a missão de fazer brotar felicidade das pequenas coisas, Guarapuava só tem a agradecer a  José Tomaz Szymczak... Viva Goiabada!!, Viva Formigão!!  

15.12.11

Aqueles que Guarapuava esqueceu....

(Fernanda Camargo)
Quem nunca reclamou da vida que leva, mesmo tendo uma casa, água encanada, energia elétrica, saneamento básico, asfalto na rua de casa, comida na mesa...
Se a sua vida não é perfeita, mesmo você tendo os quesitos básicos para a sobrevivência, imagine como é a vida daqueles que nem a essas coisas, consideradas simples/básicas, têm acesso.
Essa é a realidade das pessoas que moram no bairro Concórdia em Guarapuava, uma gente esquecida, que vive de favores, de ajuda, de esmola e do que nós jogamos em nossos lixos.
Eu e mais duas amigas fomos até esse bairro, onde tudo falta, gravar um documentário, um lugar onde pessoas vivem em condições desumanas, sem comida, sem esgoto, sem energia, sem amparo...
Por onde passávamos, com nossos equipamentos de filmagem, olhares atentos e curiosos nos seguiam, olhares que se transformavam em perguntas: “Será que se eu der uma entrevista, o prefeito vê e me arruma uma casinha?”
É de cortar o coração e perder as palavras. Impossível responder uma pergunta como essa, vinda de alguém que mora em um barraco todo furado, ao lado da linha do trem, sem comida, sem asfalto, sem energia, sem esgoto...
Vemos todos os dias histórias como essas nas TV’s de nossas casas,  compadecemo-nos com o problema que está  longe, mas não fazemos nada pelos que passam necessidade e que estão aqui. Na frente dos nossos olhos, ao alcance de nossas mãos.
Até quando ficaremos de braços cruzados, vivendo as nossas vidas como se nada estivesse acontecendo?! Enquanto essas pessoas, que estão ali no bairro Concórdia, continuam somente existindo, pois naquelas condições nenhum ser humano consegue viver. No máximo existem... Que neste Natal nosso sentimento de amor pelo próximo aflore e possamos ajudar quem está tão perto...

7.12.11

Revisitando Guarapuava



(Nincia Cecilia Ribas Borges Teixeira)


Ao pôr-do-sol em Guarapuava, imagens da cidade povoam minha memória...
Guarapuava do Clube Guaira, dos pedalinhos na Lagoa, das caminhadas no lago, dos passeios no Jordão, das voltinhas na XV...
Guarapuava do Colégio Belém, do Carneiro Martins, do Visconde, da Unicentro ...
Guarapuava dos que se dedicaram e se dedicam a formar Guarapuavanos: Tia Même, Professor Airton, Professor Chiquinho, Professora Neonila, Professor Jamil...
Guarapuava dos profissionais da saúde, dos médicos da família de ontem e de hoje: Dr Frederico, Dr Elói, Dr Ubirajara, Dr Saciloto, Dr Brum..
Guarapuava dos imigrantes, de todas as línguas, de todas as culturas,
Guarapuava dos que acreditam no poder da palavra: Mauro Biazi, Cristina Esteche, Jorge Teles, Francisco Carboni...
Guarapuava das artes plásticas, do Kundun, do Coral da Unicentro, da Banda Municipal, do artesanato, do Arte&Manha, do Palhaço Goiabada...
Guarapuava das tradições, festa de Nossa Senhora de Belém, churrasco de Igreja, das festas juninas, da Catedral iluminada no Natal, da Expoguá...
Guarapuava dos que brilham lá fora: Marcele Bittar, David Tavares, Valdir Cruz
Guarapuava  esportiva: do Rugby, do xadrez, do tiro esportivo, do futsal, das corridas de rua,  do vôlei, do saudoso Batel...
Guarapuava   das expressões e falares: “ Lôco de bão”, “já é bonito”,” Adêêê???”, "Há de ser, capaiz?" "um abraço pro gaiteiro","mais é um bocó" ,"comi uma vina" "eu tenho um guapequinha, " tá me atacando os nervo piá”.
Guarapuava dos problemas sociais...  Guarapuava da exclusão... 
Guarapuava, esta Terra tem dono, mas também tem dona, moça bonita, tem a turma do Senadinho, do CTG, tem “mano” tem “mina”, “mauricinho” e “patricinha”, tem criança brincando, tem gente acordando com o Jauri....
Guarapuava, de um povo que luta, que ama viver aqui e que não se deixa abater pelas adversidades...
 Guarapuava de um povo ordeiro e trabalhador que ao nascer do sol, constrói um tijolo a mais na construção de sua História.
Parabéns, Guarapuavanos e Guarapuavanas, por acreditarem na Terra de Guaicará, dos Joões, das Marias, das Luisas, dos Gustavos, das Anas, das Júlias, dos Pedros, dos  Josés...

1.12.11

GENTE DE NOSSA TERRA: NIVALDO KRÜGER

Por Fernanda Bessani de Camargo

 
Nivaldo Krüger nasceu em Canoinhas, Santa Catarina, veio morar em Guarapuava com sua família na adolescência. Fotógrafo, historiador, pesquisador, escritor. Suas obras relatam a história de nossa região, por meio de um olhar catarinense, mas de um coração paranaense e, sobretudo, guarapuavano.
Seu Nivaldo, figura  importante para nossa cidade e estado. De 1958 a 1962, foi vereador. E, em 1964, foi prefeito de Guarapuava, cargo que ocupou durante três mandatos.
Dentre seus feitos como homem público, está a fundação da Associação Comercial e Industrial de Guarapuava (ACIG), em 1964. E a fundação da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), em 1974.
Mas sua carreira política não parou por aí. De 1964 a 1973, Nivaldo Krüger, exerceu a função de Deputado Estadual e de 1979 a 1982 foi Deputado Federal. Além de assumir os cargos de Senador pelo estado do Paraná, ser presidente da Sanepar e da Paraná Ambiental.
Krüger é autor de vários livros que retratam a história do Paraná, entre eles estão as suas duas obras mais recentes, A Primeira República, que é resultado de vários anos de pesquisas feitas pelo autor e relata a ocupação do estado pelos jesuítas e como esse fator influenciou e contribuiu para a arte, cultura e para os aspectos econômicos do Paraná. A obra Guarapuava Fases Históricas Ciclos Econômicos registra a história da nossa cidade através de datas marcantes e de seu desenvolvimento econômico.
Seu Nivaldo contribui para a formação da nossa História e fazendo, bem mais que uma vez, jus aos seus títulos de Cidadão Honorário do Paraná e Cidadão Benemérito Municipalista do Paraná.   
            Nivaldo Krüger é “Gente de nossa Terra”!

 
| Design by Free WordPress Themes and Kurpias| Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes and Kurpias |