16.6.14

Junho é mês de Arraiá!


Festa de Santo Antônio dia 13 de junho; de São João, dia 24; de São Pedro e São Paulo, dia 29 de junho. O que não faltam são motivos para comemorar as festas juninas durante o mês todo, até chegarem nas julinas. Das comemorações brasileiras, as festas juninas estão entre as mais antigas e mais repletas de histórias. Em nosso País, estão ao lado do Natal e do Carnaval em popularidade.
Marcadas por muitas danças, comemorações, comidas e bebidas típicas, além das divertidas decorações, as festas juninas surgiram na época da colonização do Brasil, após o ano de 1500, quando os portugueses trouxeram para nosso país, muitas características da cultura européia.
Mesmo assim, logo as comemorações foram ganhando o jeitinho brasileiro, e tornaram-se legitimas festas miscigenadas, com ingredientes vindos de diversas culturas.

Comidas Típicas

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são produzidos com esse alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos. Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio das festas juninas o arroz doce, o bolo de pinhão, a cocada, o pé-de-moleque, a maça do amor, o quentão e muito mais.

Fogueira 

A luz da fogueira era o aviso de que João Batista havia nascido. De acordo com a lenda católica, o fogo foi o sinal combinado por Isabel para avisar sua prima Maria do nascimento do filho. Antigamente, a fogueira também era usada para afastar os maus espíritos das plantações.

Quadrilha

Teve origem numa dança popular realizada por camponeses europeus durante a Idade Média, trazida para o Brasil no século XIX, se fundiu com danças e tradições culturais brasileiras, onde acabou ganhando seu próprio ritmo.

Tradição Nordestina

Sem dúvidas a região Nordeste é quem mais se destaca nas comemoração de festas juninas, "O Maior São João do Mundo", como é chamado todo o ciclo de festas juninas da região, recebe todo ano milhares de turistas do Brasil todo e até do exterior, que vão apreciar e conhecer umas das mais animadas festas brasileiras.

Por: Diana Pretto


10.6.14

Ira! volta aos palcos e Guarapuava receberá show da banda


Com o rompimento de seus trabalhos desde 2007, a banda brasileira de Rock and roll Ira! voltou à ativa e já fez a alegria dos fãs na Virada Cultural, realizada no mês de maio, deste ano, na cidade de São Paulo.

No dia 13 de junho, no Pahy Centro de Eventos, Guarapuava também será sede dos primeiros shows da banda, após sua volta aos palcos. Está é a primeira vez, desde a estreia do disco, em 1985, que o baterista André Jung e o baixista Ricardo Gaspa não acompanharão Nase e Schandurra as apresentações.         

O grupo agora conta com Nasi, Edgard Scandurra e os músicos Evaristo Pádua na bateria, Daniel Rocha no baixo e Johnny Boy nos teclados.

A banda brasileira foi formada em 1981, na cidade de São Paulo. Inspirado no Exército Republicano Irlandês o nome da banda foi escolhida, Ira.  Formada em 1981, inicialmente o ponto de exclamação não era usado. Os primeiro registro da banda foi um compacto com as músicas "Pobre Paulista" e "Gritos na Multidão". Com sua primeira formação.

Já com a formação definitiva: Nasi no vocal, Edgard Scandurra na guitarra, André jung na bateria e Ricardo Gaspa no baixo e com o ponto de exclamação no final da palavra Ira, foi lançado o primeiro disco do banda, Mudança de Comportamento, lançado em 1985.

Na sequência o grupo lançou álbuns como Vivendo e Não Aprendendo, Psicoacústica, Clandestin, 'Meninos da Rua Paulo, Música Calma Para Pessoas Nervosas, '7',  Você Não Sabe Quem Eu Sou, Isso é Amor. Música Calma Para Pessoas Nervosas foi o último disco do grupo lançado pela Warner, gravadora na qual o Ira! trabalhou desde o primeiro compacto.

Texto: Amanda Bastos Maciel

4.6.14

Países na Copa - Bósnia e Herzegovina

            
A Bósnia e Herzegovina é mais um país que surgiu a partir da dissolução da Iugoslávia, após o colapso do comunismo. O país só foi reconhecido em 1992, portanto é o mais novo a disputar a Copa do Mundo de 2014.
            Entre 1992 e 1995, a Bósnia foi palco de um dos mais sangrentos conflitos resultantes da segmentação iugoslava, com cerca de 200 mil mortos e mais 2,5 milhões de refugiados. O conflito aconteceu pela declaração de independência do país, o povo sérvio, contrário a separação, promoveu uma perseguição étnica expulsando grupos rivais de seu território. O conflito só acabou em 1995 graças a intervenção da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Esse foi o conflito mais sangrento em solo europeu desde a segunda guerra mundial. Mesmo depois de quase 20 anos do fim do embate, os povos da região ainda possuem uma raiva mortal entre si e frequentemente se enfrentam.
            A principal e maior cidade da Bósnia é sua capital Sarajevo. As mágoas deixadas pela guerra são claras na cidade, o sinal mais visível é a densidade demográfica: em 1991, um ano antes do início do conflito, a população da capital era de quase 830 mil pessoas. Hoje em dia, Sarajevo possui uma população de quase 300 mil.
            A Bósnia e Herzegovina era a mais pobre das repúblicas da antiga Iugoslávia (juntamente com a Macedônia). Depois de sua independência, a situação piorou e muito, apenas em 1998 a economia bósnia começou a melhorar. Atualmente, a Bósnia continua sendo um dos países mais pobres da região dos Balcãs. Mesmo assim, o IDH bósnio é de 0,710, considerado elevado, sendo o 68 melhor do mundo.
            A cultura da região permanece a mesma desde o século X, quando o povo bósnio chegou na região. Algumas influências sérvias e croatas agora fazem parte da Bósnia, devido aos anos de ocupação e a mistura desses povos. Ainda hoje, croatas e sérvios constituem a população do país.

           
Pela primeira vez, a Bósnia e Herzegovina chega a uma Copa do Mundo, em 2010, a seleção bósnia chegou até a repescagem européia, mas não conseguiu a vaga. A seleção está no grupo F, ao lado de Argentina, Nigéria e Irã. O craque e maior esperança do país na copa é o atacante do Manchester City, Edin Dzeko.

2.6.14

365 dias de sorrisos





O centro de exposições da Unicentro Santa Cruz reinaugurou e o espaço foi preenchido de diferentes sorrisos.

O que era apenas um projeto pessoal tornou-se a exposição de reinauguração do centro de exposições da Unicentro. Com o projeto 365 dias de sorrisos, a estudante de arte educação  Mariana Arboit buscou, durante todos os dias do ano de 2013, fotografar um sorriso.

“Nos primeiros dias o projeto pareceu fácil e longo, como se os dias não passassem. Mas logo, logo ele foi tomando forma. Tive vontade de desistir várias vezes, mas sempre pensava nas pessoas que eu já havia fotografado e como o sorriso delas eram valorosos, não dava pra simplesmente abandonar o barco e deixá-los de lado", conta Mariana.

O resultado foi encantador, além dos sorrisos registrados por Arboit, formou-se os sorrisos daqueles que visitaram a exposição. “ Com toda a certeza, ao ver a exposição, acabei sorrindo também. Achei a ideia muito criativa e adorei o projeto da fotógrafa”. Conta a universitária Amanda G.  

"Ver uma ideia se concretizando é uma delícia. É muito gratificante pra mim saber que atingi o objetivo de contagiar as pessoas. Eu espero que com esse projeto e, agora também com a exposição, as pessoas passem a valorizar mais esse pequeno-grande gesto que é o sorriso", finaliza a artista.

A exposição seguirá até o dia 18 de junho, no Centro de Exposição da Unicentro.  









 Fotos: Exposição 365 dias de  sorrisos, Mariana Aboit.                     
 Texto: Amanda Bastos Maciel







 
| Design by Free WordPress Themes and Kurpias| Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes and Kurpias |