25.1.17

A evolução do dinheiro

    Como você já sabe, hoje em dia pra comprar alguma coisa, pagar alguma conta, você precisa ter dinheiro. São sete notas que representam os valores: um real, dois reais, cinco reais, dez reais, 20 reais, 50 reais e 100 reais. Cada mercadoria tem um valor que você pode comprar com uma dessas notas, ou com a junção de várias delas. Mas você sabe quando o dinheiro de papel começou a existir? 
    Pra explicar isso, vamos voltar no tempo, logo depois que os colonizadores chegaram ao país. Naquela época, as pessoas produziam alguns produtos, separavam uma parte para consumir, e o restante trocava por outros produtos. Por exemplo, na minha terra eu produzo vários tipos de alimentos, verduras, frutas e legumes. Mas como não crio nenhum animal, não planto arroz, batata e nem algodão, então preciso procurar alguém que produza isso e que queira trocar pelos produtos que eu tenho. Essa troca é chamada de escambo, e embora pareça coisa que só acontece no passado, na verdade não. Hoje em dia ela ainda acontece, algumas pessoas fazem essa troca através dos classificados do jornal e das redes sociais, e isso também se chama escambo. Mas vamos voltar a historia.
    Com o passar do tempo, as trocas começaram a evoluírem, algumas mercadorias passaram a ser mais valorizadas e se transformaram em moedas-mercadoria, como foi o caso do bambu na China, fios na Arábia, e do sal na Roma Antiga. Mas com essa forma de escambo ainda não era possível guardar a sua riqueza, já que os alimentos eram perecíveis. A descoberta do metal no século VII a.C. veio para facilitar acabar com esse problema e facilitar a vida das pessoas.
    As primeiras moedas criadas eram de ouro, prata e cobre, elas tinham vários formatos, e eram fabricadas manualmente. Foi com o tempo que ganharam uma forma padrão e desenhos como os que encontramos nas moedas de hoje.
    Foi na idade média, período do século V (cinco) ao século XV (quinze), que surgiu a ideia de guardar as moedas, por causa da dificuldade de transporte, e usar um comprovante em papel com o valor que a pessoa possuía. Funcionava assim: você entregava o dinheiro para os ourives, pessoas que faziam e vendiam objetos de ouro e prata. Eles contavam e anotavam num recibo o valor da quantia guardada, aí você usava o comprovantes para realizar suas compras. Já no século XVII surgiu o primeiro banco, localizado na Inglaterra, onde as pessoas levavam suas moedas e produtos e trocavam por recibos, como já faziam com os ourives. As moedas de papel, como eram chamados os comprovantes também foram evoluindo, e no começo do século XIX possuíam os valores fixos nas notas (assim como é hoje), para evitar alterações dos valores nos recibos.
    No Brasil essa evolução do dinheiro também aconteceu. Nosso país sempre foi rico em produção de diversos produtos como, por exemplo, a produção de algodão, soja e açúcar. Por causa disso, o sistema de troca ou escambo como vimos agora pouco, permaneceu por muito tempo em nosso país. As primeiras moedas brasileiras surgiram há 371 anos, ou seja, em 1645.
 Mudanças para controlar a inflação

    Para facilitar o acesso ao dinheiro, vários bancos foram instalados em várias cidades, mas com tantos bancos entregando papéis com valores sem controle, a crise financeira surgiu, não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Para resolver esse problema, era necessário ter o controle do dinheiro que circulava em cada país. Afinal, a quantidade de dinheiro deve ser igual à quantidade de serviços e produtos oferecidos pela economia. Foi assim que cada país criou um órgão responsável para fazer esse controle. No Brasil esse órgão chama-se Banco Central e foi criado em 1964, pelo rei de Portugal, Dom Pedro II.
    Mas não foi nada fácil para o país dar fim a crise econômica. O país tinha em circulação mais dinheiro do que a quantidade de serviços e produtos. Vamos te explicar melhor. Se eu tenho cinco cadernos iguais não posso trocar por oito vales caderno, porque depois não posso oferecer os outros três cadernos que faltam, certo? Para o dinheiro é a mesma coisa, se o país produz produtos e fornece serviços que valem, por exemplo, R$1.000.000 ele não pode imprimir R$1.500.000 de dinheiro, porque não tem produtos e serviços para oferecer.

    Por isso, o país não pode tentar resolver uma crise colocando mais dinheiro em circulação. Se isso acontece, o país tem que aumentar o preço das mercadorias para recuperar o dinheiro impresso indevidamente e isso se chama inflação. Mas então porque ainda continuam fabricando novas cédulas? As notas continuam sendo impressas para substituir as notas velhas, que com o tempo acabam rasgando ou ficando ilegíveis. E se você tem uma nota dessas velhas e rasgadas em casa, basta levar ao banco e trocá-la por outra, do mesmo valor. 

23.1.17

Blurryface (2016) - Twenty One Pilots: Não era pra vender mas vendeu


     Lançado em maio de 2015 o álbum Blurryface da banda Twenty One Pilots tem gerado discussões sobre o que, ou quem seria esse “cara embaçada”. Blurryface é o personagem que mostra um lado negro do vocalista do TOP, Tyler Joseph. Esse lado representa as inseguranças, medos e más atitudes que cometemos, e que no caso, são representadas no vocalista.
Para deixar o personagem com mais vida, em todas as apresentações da banda, Tyler usa uma tinta preta em seu pescoço e em suas mãos, representando o sufocamento causado pela pressão da vida adulta e das responsabilidades. A tinta nas mãos mostra que esse lado oculto é solto através de nossas atitudes, ou que fazemos isso com as próprias mãos.
     A banda não é caracterizada dentro de um gênero musical embora alguns os classifiquem como pop esquizofrênico. Para o álbum blurryface, a banda traz discussões sobre a depressão pós modernidade e modernidade líquida. Em uma entrevista para a Columbus Alive no inicio de 2016 Tyler disse que o propósito da banda é “fazer as pessoas pensarem”, ajudá-las a encontrar a verdadeira felicidade e se desprender das coisas fúteis que o mundo prega. Além disso, o vocalista destacou que são esses os objetivos da banda e por isso suas musicas não foram feitas para estourarem nas rádios ou venderem muito.
     O Twenty One Pilots é uma banda americana formada em 2009. Atualmente composta por Tyler Joseph que atua como vocal, e toca piano, teclado e ukelele. Enquanto seu parceiro Josh Dun cuida da parte de percussão e vocal de apoio da banda. A banda lançou dois álbuns independentes, o primeiro foi um álbum homônimo da banda lançado em 2009 e o segundo denominado Regional at Best em 2011. Em 2012 a banda assinou com a gravadora Fueled by Ramen, no mesmo ano já lançaram o álbum Vessel, mas somente em 2014 a banda começou a ganhar popularidade e espaço no mainstream participando de eventos como o Lollapalooza. Blurryface chegou para alavancar o sucesso da banda. A primeira apresentação do álbum foi encerrando o MTV Video Music Awards 2015 com três músicas do álbum.
     A primeira faixa de Blurryface é “Heavydirtysoul” que mostra a consciência de Tyler sobre a parte suja presente em sua alma, e ao mesmo tempo um pedido de ajuda para salva-lo. A letra da música também critica o rumo da sociedade, colocando-os como zumbis, que precisam acordar. Também mostra uma conexão com os primeiros fãs da banda que os acompanhavam pelas músicas que a a banda fazia e não por seu sucesso.
     Stressed Out foi o é a primeira faixa a ter um vídeo clipe. A faixa que ocupou o primeiro lugar no Hot 200 da Billboard. A letra da musica e também o seu videoclipe mostram as coisas comuns que crianças e jovens dos estados unidos estão acostumados a fazer no seu cotidiano, comparando essa doce infância com o sufocamento da dura realidade dos dias atuais, que os obriga a trabalhar para ganhar dinheiro, como se pode perceber no trecho da letra que no clipe é dublada pelos familiares de Tyler e Josh “But now they're laughing at our face, Saying: wake up, you need to make money”.
É notável durante o clipe a reprodução do modelo de família americana, composta por pai, mãe, filhos e filhas, onde os filhos formam bandas ensaiam no porão de casa, e possuem irmãos mais velhos desconectados com o mundo e presos a fones de ouvido, enquanto as filhas seguem o modelo das mães, e seguem o caminho correto. O clipe de Stressed Out foi lançado no dia 27 de abril de 2015 e foi produzido por Mark Eshleman que produz a maioria dos clipes da banda. Nessa faixa percebemos também a voz direta de Blurryface se apresentando e fazendo a intenção principal da música que é a comparação da infância com a vida adulta. Segundo declarações dos artistas através de suas redes sociais o clipe foi gravado nas casas onde os integrantes da banda cresceram e inclusive as famílias dos artistas fazem parte do clipe, justamente para mostrar que essas situações acontecem com todos os jovens americanos, inclusive com eles.Tanto o clipe como a letra de Stressed Out mostram essa pressão de responsabilidades colocadas em jovens e adultos. Evidenciando uma geração que cresce num mundo cheio de preocupações.
     Ride traz para o álbum uma sonoridade diferente, fugindo do rock e trazendo o reggae à tona. A letra fala sobre morrer no lugar de outra pessoa, questionando por quem você faria isso.
Blurryface fala novamente de maneira direta na quarta faixa do álbum, Fairly Local deixando Tyler confuso sobre quem ele realmente é, ou o que quer. Além disso, nessa faixa percebemos a intenção inicial da banda, destacada por Tyler na Entrevista para a Columbus Alive, de não fazer músicas para venda e sim para que as pessoas pensem, explicita no trecho “Yo, this song will never be on the radio”.
     Tear in my heart apesar de não ser uma música leve e lenta é talvez a mais romântica do álbum. A letra e o clipe se completam, a letra mostra como vencer esse Blurryface presente no coração de Tyler e o clipe traz a esposa do vocalista como solução, mostrando que ela tem rasgado seu coração e retirado o cara embaçada.
     Lany Boy é a musica favorita de Tyler nesse álbum. A letra fala sobre o próprio álbum, e as músicas que foram feitas, colocando defeitos, dúvidas e as pressões da indústria musical. A sétima faixa, The Judge fala sobre uma necessidade de libertação, uma busca por rendição.
     Doubt mostra as inseguranças e principalmente os medos de Tyler medo de não saber quem é e medo de não ser bom o suficiente sem a ajuda de alguém. Medo de não responder todas as duvidas da vida.
     Polarize assim como The Judge é um pedido de ajuda, dessa vez a letra fala sobre os problemas que temos e precisamos esconder, ou polarizar. A penúltima faixa We don’t believe whats on TV é a mais leve no sentido da letra, que possui um tom cômico, e despreocupado com a música. A última faixa Message Man vem para criticar a sociedade que idealiza um modo de vida do vocalista, mas não conhece de verdade quem ele é.
     A banda faz músicas para as pessoas pensarem, criticando as atitudes da sociedade que se machuca e se sufoca numa busca excessiva por fazer dinheiro e comprar uma suposta felicidade. Blurryface veio para consagrar uma banda que desde seu primeiro álbum tem como principal objetivo ajudar as pessoas a terem um choque de realidade e a refletir sobre as próprias atitudes.

Karina Louise

5 dicas de 'Role Verão' para você colocar a cara no Sol

Role com os amigos
Faz um grupo no Whatsapp, adiciona a galera e combinem um role durante o dia para queimar um pouco e conversar com tudo mundo. Escolham um local aberto, de preferência com piscina, pode ser na casa de alguém (sem interesse) e aproveitem para voltar a ser criança e fazer uma guerrinha d’água, alguma brincadeira mais esportiva e até bater uma bola com o time! Vale tudo para sair de casa com aquele look bem confortável e ver o Sol se pôr com os amigos.

Role com a família
Não diga a palavra tédio no domingo e aproveite para conhecer junto com os seus familiares algum lugar que vocês nunca foram. Pode ser em alguma área nova da cidade, uma praça que vocês nunca pararam ou até mesmo visitar o comércio no centro. Agora se você já conhece tudo, combine de fazer o famoso churrasco, chama os primos, coloca a roupa de banho e entre nem que seja em uma piscina de plástico!

Role com comida
Hora do piquenique! Chame quem você quiser e peça para levar algum petisco para vocês conversarem e comerem juntos. No verão o que combina também é visitar a sua sorveteria preferida e chupar aquele sorvete que você mais gosta. Entretanto, agora a moda é o famigerado açaí e geralmente nos lugares que vendem isso sempre tem lanches naturais, saladas de frutas e uma variedade de opões leves e saudáveis que pode agradar todo mundo.

Role com bebida
Se você gosta de beber uma cerveja gelada ou uma caipirinha, nada melhor do que aproveitar um happy hour de verão para fazer um social com os amigos do trabalho e ainda chegar cedo em casa. Se tiver um barzinho perto de uma praça ou um ponto turístico da sua cidade, melhor ainda para aproveitar a vista e observar o movimento. Porém, se você não gosta de bares, pode ir até uma casa de sucos e tomar uma mistura refrescante com vitaminas de frutas naturais.

Role com a natureza
Aproveite um dia de folga para visitar lugares com muitas árvores e mais afastados dos centros urbanos. Planeje um dia de pesca, uma visita ao zoológico, fazer uma trilha ou até nadar em uma prainha de rio. Veja se tem perto de você algum lugar para praticar arvorismo, alguma cachoeira para visitar ou até um haras para andar a cavalo.

Se você não tem muito tempo para dar todas essas saidinhas ou não curte um Sol, junta tudo em um role só! Chame a família, os amigos, pega comida, bebida e vai para natureza aproveitar a estação.

Desafio do Arrancadão volta para Guarapuava em fevereiro

     Depois de 10 anos suspenso, os desafios da arrancada voltam a fazer parte da cultura de Guarapuava. Com data marcada para 11 e 12 de fevereiro, o 1º Desafio de Arrancada acontece nas dependências da Cidade dos Lagos. O local da competição contará com 200 metros de arquibancadas e 45 camarotes, além de praça de alimentação e pistas de provas totalmente ajustadas para proporcionar maior desempenho aos veículos.
     De acordo com um dos organizadores do evento, Aguinelo Marquetti, a competição irá contar com a presença de diversos pilotos de Guarapuava e região. “Estamos trabalhando na organização há oito meses, pois são muitas coisas para ajustar. Contamos com a presença de todos os guarapuavanos, pois será um grande evento”, destacou Aguinelo.
     As inscrições para os competidores podem ser realizadas pelo site www.westcars.com.br no valor de R$200, ou no dia do evento por R$280. Já quem quer assistir os desafios da arrancada pode comprar os ingressos antecipados por R$ 20 + 1kg de alimento no pontos de venda (Piratas Lanches; Posto Box; Campo Real; Farmácia do Paulinho Cristo Rei; Dacoregio Automotivo; Superpão Compre Mais). Mais informações (42) 99945-6033.
     O evento conta com o apoio da Prefeitura de Guarapuava através de suas secretarias municipais.

Eletrônicos acumulando em casa? Saiba como fazer o descarte de eletrônicos que não funcionam mais

     A versatilidade da indústria tecnológica acaba gerando uma enorme variedade de produtos eletrônicos. Os consumidores mal compram um produto e já aparece outra novidade no mercado. Assim, esses produtos acabam não durando, pois estragam ou simplesmente são trocados por aparelhos mais novos. Mas o que fazer com o aparelho antigo? Jogar nos resíduos domésticos? Ou no reciclável?
     O técnico de Informática Edson de Oliveira conta que possui muitos resíduos eletrônicos que não funcionam, por conta da sua área de atuação. “Por não ter um lugar específico para descartar, eu acabo jogando junto aos resíduos comuns”, comenta.
     A lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, no artigo 33, inciso VI, estabelece que as empresas que produzem eletrônicos e componentes precisam implementar sistemas de logística reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, ou seja, o consumidor tem o direito de devolver os resíduos eletrônicos onde comprou.
     Segundo Aquecir Cardoso, coordenadora de projetos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Guarapuava, o trabalho é realizado em conjunto com empresas “Nós firmamos uma parceria para que as empresas recolham alguns resíduos que não são coletados no dia a dia e façam o destino correto”, afirma.
     Uma das empresas que faz esse trabalho é a SUC Ambiental. De acordo com o proprietário Sandrigo Costa, na última ação, que aconteceu em junho deste ano, foram coletadas aproximadamente 12 toneladas de resíduos eletrônicos. “ E toda essa coleta é passada para uma empresa que faz a extração dos produtos químicos e, em seguida, segue para outros países”, afirma o empresário.
     De acordo com a bióloga Jeane Souza, o lixo eletrônico é composto por algumas substâncias como cádmio, mercúrio, chumbo e berílio. “As substâncias como mercúrio são metais pesados quando descartados incorretamente, podem contaminar a água e o solo. Quando a água é contaminada por mercúrio, por exemplo, este elemento acaba sendo absorvido pelas algas, que acabam indo parar nos organismos dos peixes que se alimentam delas e, assim sucessivamente, ou seja, o mercúrio percorre toda a cadeia alimentar. Ainda segundo a bióloga, a única forma correta é o descarte através da coleta seletiva. Em Guarapuava, essa coleta não é feita periodicamente. “O ideal é que essa coleta fosse feita sempre”, comenta Jeane.
     De acordo com a lei, as empresas devem recolher os resíduos, em Guarapuava, por exemplo, um dos poucos lugares que faz isso, é uma loja de móveis no centro da cidade. O funcionário Daniel Ivanski explica que a empresa, por pertencer a uma rede de lojas, tem projetos de preservação ambiental e sustentabilidade. “Nós recolhemos bastante pilhas e baterias do pessoal que vêm até a loja, mas temos dificuldade para dar o destino certo desses produtos recolhidos”, complementa Daniel.

LABORATÓRIO DE IDEIAS DE GUARAPUAVA MARCA PRESENÇA NA CAMPUS PARTY BRASIL

     O LAB (Laboratório de Ideias), da Prefeitura de Guarapuava vem se destacando cada vez mais com iniciativas de sucesso. Prova disso é a confirmação de participação pelo segundo ano consecutivo na Campus Party Brasil, considerada a maior experiência tecnológica do mundo nas áreas de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e entretenimento. A edição 2017 promete reunir mais de 8 mil pessoas em mais de 700 horas de conteúdo.
     O evento, que acontece em São Paulo de 31 de janeiro a 5 de fevereiro, conta com oito palcos, workshops, área de games, desafios de desenvolvimento e também sala de internet com alta velocidade. “Nossa gestão sempre trabalhou para incentivar ideias criativas que trouxessem efeitos positivos para a comunidade. Com certeza a participação na Campus Party deste ano será novamente um sucesso”, destacou o prefeito Cesar Silvestri Filho, que em 2016 acompanhou pessoalmente as atividades do LAB no evento.
     De acordo com o diretor do LAB, Andy Troc, na edição 2017 o LAB foi selecionado para ser uma Comunidade Parceira. “Sendo comunidade, contamos com um espaço para divulgação das atividades e inovações desenvolvidas pela equipe do laboratório e parceiros em Guarapuava, como robótica educacional, robótica sustentável e desenvolvimento de tecnologia open source”, explicou Andy.
     No dia 03 de fevereiro às 10h30 o LAB realiza no palco Startup e Makers uma palestra denominada: A Jornada Maker – Os Desafios para Desenvolver Tecnologias, que será ministrada por Andy Troc. “Neste ano, além de realizar a palestra, vamos levar para a Campus dois robôs que jogam futebol e o banana game, que foi sucesso no ano passado. Estamos empolgados e animados para participar e trocar experiências, com certeza todo conhecimento adquirido servirá de inspiração para que o LAB continue se destacando”, finalizou, Troc. 



 
| Design by Free WordPress Themes and Kurpias| Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes and Kurpias |